Lançamos  a Chamada aberta “Imaginário da Cidade”, da 11ª Bienal de Arquitetura

A 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo anuncia a chamada aberta “Imaginário da Cidade”, oferecendo a grupos atuantes a oportunidade de contribuir e participar desta edição do evento. A Chamada é aberta e foca sobretudo em trabalhos desenvolvidos atualmente, mirando possíveis desdobramentos nos formatos e categorias sugeridos neste edital.

Ao explorar o imaginário de diversas perspectivas sobre a cidade, pretendemos agenciar encontros e reconhecer recortes do território a partir de uma obra e convivência plurais. Para tanto, faz-se fundamental chamar e envolver aqueles que reconhecem realidades urbanas alternativas, registrando lembranças, experiências, transformações da cidade, de seu espaço público e cultura. Do centro às bordas,  ambicionamos articular um mapeamento colaborativo preenchido com ensaios fotográficos, guias da cidade, coreografias, percursos, cartografias, arte urbana, ações experimentais, projeções, entre outros, realizados por iniciativas públicas e privadas e que geram um reconhecimento colaborativo da região metropolitana da cidade (exibidas no formulário).

A 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo abre esta convocatória para o envio de materiais existentes (sobre práticas existentes ou ações já realizadas) e/ou de propostas para a realização de ações – inéditas, em desenvolvimento ou já desenvolvidos – a fim de participar da 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo. Trata-se de um chamamento aberto, não restrito a arquitetos, que tem como objetivo permitir a participação de qualquer interessado, somando contribuições da sociedade civil ao núcleo curatorial do evento.

Prazo de entrega: 27/08/2017

Para maiores detalhes, acessar o regulamento desta Chamada no link: https://www.11bienaldearquitetura.org.br/chamada-aberta-imaginario-da-cidade

 

FAÇA PARTE DO OBSERVATÓRIO DA 11ª BIENAL DE ARQUITETURA DE SÃO PAULO ATRAVÉS DAS CHAMADAS ABERTAS

Observatório é um grande arquivo em processo, que se origina no estúdio da 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo, cujo objetivo é mapear, articular, evidenciar e democratizar formas de ação, construção e documentação da cidade, que representem um conhecimento sobre a utilidade pública da Arquitetura. Através dessa iniciativa, a 11ª Bienal de Arquitetura deixará seu legado para a cidade, coletivizando o acesso e debate sobre determinadas iniciativas de transformação urbana.

Esse inventário chamado Observatório oferece um conjunto de instrumentos para discutir, editar e transformar a cidade, cuja linguagem sintética e acessível possibilita a participação de um público mais amplo, não restrito ao campo arquitetônico, e sugere uma ampliação do imaginário sobre a cidade, construído coletivamente. Tem o objetivo de reconhecer ações pontuais, que ocorrem em diferentes circunstâncias, mas que apontam questões estratégicas para se pensar a metrópole contemporânea. Reúne exemplos de projetos e ações que aconteceram nos últimos dez anos em São Paulo, no Brasil e no mundo.

Os casos são organizados em fichas, entre os quais encontram-se ensaios fotográficos e gráficos, guias de uso e exploração da cidade, manuais para transformação e ação local, investigações, apurações e outros formatos. Além da pesquisa realizada internamente pela equipe do estúdio (cuja compilação já supera 500 fichas/casos), outras propostas serão acrescidas/adicionadas a partir das Chamadas Abertas da 11ª Bienal.

Tendo como mote Em Projeto, a 11ª Bienal de Arquitetura é um processo que mira a transformação da cidade: quer qualificar, construir, editar, usar, ocupar, com o compromisso da realização e do compartilhamento, com o objetivo de construir um conhecimento e, com isso, deixar um legado.

Para isso, convida todos os interessados a fazerem parte do Observatório da Bienal através das chamadas abertas – mecanismos usados para a expansão do arquivo e seu alcance através da colaboração. Veja, a seguir, as quatro chamadas já lançadas pela Bienal:

1. Chamada Aberta ‘Imaginário da Cidade’ 

PARA QUEM? Membros da sociedade civil, coletivos e iniciativas comunitárias, arquitetos e outros cujas práticas se relacionam com a cidade.
FOCO: propostas em formatos como ensaios fotográficos, cartografias e mapeamentos, guias, performances, produções de audiovisual etc.
Envio de propostas até 27/08

2. Chamada Aberta ‘Faculdades de Arquitetura e Estudos Urbanos’

PARA QUEM? Estudantes, professores, pesquisadores, laboratórios ou grupos formados em cursos de arquitetura e relacionados aos estudos urbanos (design, ciências sociais, geografia, antropologia, sociologia, saúde pública, psicologia, serviço social, artes plásticas e outros) da graduação e pós graduação.
FOCO: buscamos contribuições que fortaleçam a ponte entre academia e a cidade real (ver lista de formatos sugeridos no formulário).
Envio de propostas até 04/09

3. Chamada Aberta ‘Utilidade Pública’

PARA QUEM? Membros da sociedade civil, coletivos e iniciativas comunitárias, arquitetos e outros profissionais relacionados aos estudos urbanos.
FOCO: propostas que apresentam instrumentos inovadores e formas de editar e transformar o espaço da cidade.
Envio de propostas até 04/09

4. Chamada Aberta ‘Arquitetura Urbana’

PARA QUEM? Arquitetos e urbanistas, escritórios, estúdios e coletivos de arquitetura.
FOCO: propostas de reflexão sobre a produção arquitetônica e seu impacto no desenho e na experiência da cidade.
Envio de propostas até 15/09

Saiba mais sobre a 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo aqui.