Perspectivas do sul: palestra e conversa com Patti Anahory

PERSPECTIVAS DO SUL: LUGARES E IDENTIDADES NA ARQUITETURA E URBANISMO CONTEMPORÂNEOS

terça-feira
25 de novembro de 2019
rua bento Freitas, 306

[entrada franca]

/// Palestra errant [as] praxis: perspectivas desnorteadas/des-Norteadas – Patti Anahory (Cabo Verde)
Arquitecta pelo Boston Architectural College e mestre em arquitetura pela Princeton University, EUA. Em 2000, recebeu o prestigiado Rotch Traveling Scholarship tendo sido a segunda mulher a ser premiada em 113 anos do concurso e a primeira laureada e a escolher viajar para a África Subsaariana. Entre 2009 e 2012, foi Diretora Fundadora do CIDLOT, um centro de pesquisa aplicada multidisciplinar na Universidade de Cabo Verde, com a função de abordar as dinâmicas do território e o desenvolvimento local. Em 2011, co-fundou XU:Collective, um coletivo de arte interdisciplinar, actualmente um atelier profissional, que propõe uma compreensão crítica das dinâmicas urbanas, arquitetura e multimédia. Em 2017, foi Master Jury da primeira edição do African Architecture Awards e em 2018 membro do júri do concurso curatorial da XII Bienal Internacional de Arquitectura de São Paulo. Foi convidada a ser curadora regional para África na Bienal de Arquitetura e Urbanismo de Seul. Durante 2018 foi Visiting Fellow na Universidade de Joanesburgo, África do Sul e serve actualmente como avaliadora externa do curso de arquitetura na Namibia University of Science and Technology. Desenvolve o projeto errant_praxis um encontro digital, um espaço independente e ativo de questionamento sobre as formas de actuação para e a partir do continente Africano, suas ilhas, diáspora e imaginários.

/// Conversa com

Gabriela de Matos
Arquiteta e urbanista. Graduou-se pela FAU da PUC-MG (2010) e especializou-se em Sustentabilidade e Gestão do Ambiente Construído, pela UFMG (2016). Atualmente vive em São Paulo onde atua em escritório próprio. Participou como jurada na 11 Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo e do Prêmio de Design do Instituto Tomie Ohtake. É fundadora do projeto Arquitetas Negras e atualmente mapeia a produção de arquitetas negras brasileiras. Pesquisa arquitetura contemporânea produzida em África e sua diáspora. Entre outros, propõe ações que promovem o debate de gênero e raça na Arquitetura como forma de dar visibilidade à questão. Assina o editorial do livro Arquitetas Negras vol.1, a primeira publicação feita por arquitetas negras no Brasil.

Elaine Mineiro
Mãe, Geógrafa, arte educadora e articuladora cultural. É coordenadora de núcleo de base da Uneafro Brasil no Jd. Pantanal. Atua no grupo Samba das Pretas, na Cidade Tiradentes, e na Comunidade do Jongo dos Guaianás, região leste de SP.

Gabriela Leandro Gaia
Arquiteta e urbanista formada pela Universidade Federal do Espírito Santo, com mestrado e doutorado realizado no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia. Em seus trabalhos de pós-graduação abordou distintos processos da produção urbana, tomando sempre como fio condutor a interlocução com sujeitos, coletivos e movimentos sociais vinculados aos territórios marginalizados, indagando a partir deles sobre a formulação do arcabouço teórico e epistemológico mobilizado para leitura, compreensão e proposição sobre a cidade. Neles, a arquiteta produz provocações que apontam, histórica e politicamente, para as limitações e insuficiências do campo, assim como denuncia sua negligência no que tange a questão racial. Atualmente, é Professora Adjunta da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFBA. Integrante do Grupo de Pesquisa Lugar Comum desde 2011 (Coordenação geral: Profª Ana Fernandes), no qual coordena o Grupo de Estudos Corpo, Discurso e Território (2017-).


/// Abertura


Maurilio Chiaretti

Presidente do Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo, formado em Arquitetura e Urbanismo pelo Centro Universitário Barão de Mauá (2005), especialista de História, Cultura e Sociedade pela mesma instituição de ensino (2009), ex-diretor geral da FENEA (Federação Nacional de Estudantes de Arquitetura e Urbanismo – 2004-2005). Atuou como coordenador urbanístico do Programa Cidade Legal para a região de Ribeirão Preto – SP, do Plano Local de Habitação de Interesse Social de Santa Rosa de Viterbo – SP e do Plano de Expansão Urbana de Sumaré – SP. Atuou com Assistência Técnica em melhorias habitacionais nas comunidades Vale das Flores, em Taboão da Serra – SP (2011) e Heliópolis, em São Paulo (2012), pela ONG Habitat para a Humanidade. Atualmente trabalha com assessoria técnica aos movimentos de moradia MDM, MMC e AMMO, para produção de habitação de interesse social autogestionada, e é Secretário Adjunto de Habitação e Planejamento Urbano de Ribeirão Pires, responsável pelo departamento de Regularização Fundiária.

Nos dias 25, 26 e 30 de novembro, o Colegiado de Entidades Estaduais de Arquitetura e Urbanismo do CAU/SP (CEAU-SP) promove o evento “Diálogos de Arquitetura e Urbanismo”.

Com a finalidade ampliar o debate acerca da formação e prática do exercício profissional, o evento vai reunir especialistas da ABAP (Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas), ABEA (Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura), AsBEA (Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura), SASP (Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo) e do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/SP).

Entre os temas que serão debatidos estão ‘Perspectivas do Sul: lugares e identidades na Arquitetura e Urbanismo’, ‘Cidades e o Comum: Barcelona, Belo Horizonte e São Paulo’ e o ‘trabalho final de graduação em Arquitetura e Urbanismo e o TFG em Arquitetura e Paisagem’.

O evento é gratuito e tem vagas limitadas. Confira a programação no site: https://www.causp.gov.br/em-sao-paulo-ceau-promove-encontros-para-ampliar-o-debate-sobre-exercicio-profissional/