Projeto Lugares de Interação

Lugares de Interação
Metodologia participativa para transformação do entorno escolar

 

 

A desconexão entre escolas e lugares em que estão inseridas afeta diretamente as comunidades locais pois deixa de lado todas as potencialidades que o território educador pode trazer para o desenvolvimento comunitário e democrático dos bairros, bem como para o fortalecimento das identidades locais.

Além disso, os elevados números de evasão das escolas da rede pública, as baixas notas na avaliação de ensino nacional e o baixo engajamento da escola e da comunidade em assuntos relativos ao bairro e à cidade, manifestam-se, atualmente, como reflexo de uma ideia curricular que restringe as possibilidades de aprendizagem a conteúdos curriculares hierarquicamente definidos, nos distanciando cada vez mais do direito à educação inclusiva, equitativa e de qualidade.

Diante de tal cenário, o projeto Lugares de Interação busca caminhos para responder às latentes questões: Qual a escola que queremos? Que outras práticas urbanas podemos experimentar na interação entre a escola e a cidade? Como garantir a vida dos espaços de exercício da cidadania e dos territórios culturais na consolidação urbana de cidades ativas no direcionamento educativo das populações mais carentes? Como contribuir para a melhoria da vida comunitária em espaços públicos e reduzir os índices de violência urbana nos entornos escolares?

O projeto visa a contribuir com os empenhos para melhoraria da qualidade da educação pública, dos espaços urbanos e escolares de seu entorno, assim como sua relação com a comunidade, por meio de intervenções físicas focadas na transformação dos arredores dos edifícios escolares. Busca-se, pois, ampliar o envolvimento da comunidade na participação da educação para além dos ambientes escolares tradicionais, englobando as vivências territoriais de seus entornos. Por meio da ativação conjunta de tal potencial educador de outros diversos espaços urbanos, o projeto reconhece o potencial educativo da cidade, desejando multiplicar e democratizar as oportunidades educativas para diferentes parcelas da população.

Objetivos específicos do projeto:

– Impulsionar o reordenamento espacial do entorno escolar;
– Incentivar o sentimento de pertença sobre o espaço público entre a comunidade local, as escolas e o bairro onde estão implantadas;
– Facilitar instrumentos para que práticas pedagógicas possam se expandir para além dos muros da escola.

Metodologia:

O projeto é estruturado por três eixos de atuação distintos, porém complementares: aproximação, cocriação e cuidado.

Aproximação.

Elaboração de diagnóstico participativo com intuito de aferir a relação da comunidade escolar, alunos, educadores e gestores escolares com o entorno, identificação de potencialidades, belezas, talentos e recursos disponíveis no território e como os mesmos contribuem para fomentar a interação entre a escola e seu território. O projeto se vale de oficinas de mapeamento territorial e cartografia afetiva como principais ações para o cumprimento desta etapa.

Cocriação:
Com o reconhecimento do território por parte dos profissionais envolvidos no projeto, bem como da comunidade escolar, e considerando o desafio “Como podemos melhorar os espaços públicos do entorno da escola?”, comunidade escolar, representantes dos serviços de assistência e população local são convidados a participar de workshops de cocriação para o desenho de uma agenda de ações que respondam ao desafio ora posto, bem como o planejamento e execução das mesmas, fomentando o fazer coletivo e a autonomia como parte fundamental do processo de aprendizagem.

Cuidado:
Após a implementação das ações no território, uma roda de aprendizados para celebrar o processo é realizada entre todos os participantes. Além de mapear pontos positivos e oportunidades de melhoria, bem como identificar agentes multiplicadores locais que se responsabilizam pela continuidade e realização de novas ações.

Cada um destes eixos divide-se em diversas ações, partindo desde
Espera- se que ao fim do processo seja elaborado um “cardápio” com o passo a passo das ações realizadas que sirva como guia tanto para a multiplicação local quanto para intercâmbio com outras comunidades, que será distribuído nas escolas e demais equipamentos no bairro além de sua disponibilização no formato de um e-book para consulta para interessados em geral.

Seminário-Oficina Lugares de Interação

Para se inscrever, clique aqui

Contato
territorioseducativos@iabsp.org.br

Equipe
Alexandre Monteiro (Escola Sem Muros)
Ana Beatriz Giovani (Escola Sem Muros)
Dalton Bertini Ruas
Flavia Burcatovsky (Escola Sem Muros)
Luana Pedrosa
Priscila Tavares
Ranyely Araujo (Escola Sem Muros)
Rayssa Oliveira
Samira Bueno Chahin