curso ergonomia das cores a partir de maliévitch


a oficina traz estudos e experimentos sobre as cores abordando materiais, como pigmentos e superfícies, percepção em ambientes, signos e aspectos culturais construindo uma psique sensorial sinestésica, e sua ação na percepção das mais variadas aplicações cromáticas em nosso cotidiano. partindo do texto “forma, cor e sensação” de kazimir maliévitch, autores como paul klee, vassily kandinsky, william morris, liubov popova e ernst gombrich, entre outros, vão construir a pauta de leituras e experimentos práticos sobre a construção, uso e percepção das cores nos mais variados segmentos, na arquitetura, vestuário e cinema, por exemplo.

“as percepções do lado físico do mundo através da intuição, refratando idéias, não coincidem com a decisão do laboratório óptico. a percepção óptica é uma consideração dos fenômenos, e intuitiva é a sensação deles. portanto, se a forma “como tal” e a cor “como tal” são importantes para o primeiro, nem a forma e nem a cor desempenham algum papel no segundo, porque o artista coloca em primeiro plano a sensação dos fenômenos, e não a imagem, como a percepção visual da ordem óptica”. esse é um pequeno trecho do texto “forma, cor e sensação” escrito por kazimír maliévitch e publicado na revistasa (“sovremennaya-arkhitektura”) em 1928, e que será o ponto de partida da oficina, que traz estudos e experimentos sobre as cores abordando materiais, como pigmentos e superfícies, as construções químicas das cores, sua presença em ambientes, seus signos, considerando aspectos culturais na construção de uma psique sensorial sinestésica, e sua ação nas percepçõesdas mais variadas aplicações cromáticas em nosso cotidiano. além de kazimir maliévitch, autores como paul klee, johann w. von goethe, vassily kandinsky, william morris, liubov popova e ernst gombrich, entre outros, vão construir a pauta de leituras e experimentos práticos sobre a construção, uso e percepção das cores nos mais variados segmentos, na arquitetura, pintura, vestuário e cinema, entre outros, e as valorizações e escolhas para as paletas cromáticas de movimentos artísticos, como a renascença, o romantismo, impressionismo e construtivismo e escolhas para as paletas cromáticas de movimentos artísticos, como a renascença, o romantismo, impressionismo e construtivismo, referencias que reverberam até nossos dias nos ambientes de criação nas artes, design e arquitetura.”

celso lima 
artista têxtil, pesquisador e professor de design de superfície, tecnologias tintureiras e história da arte e design, realiza sobre têxteis trabalhos murais nos processos do batik javanês, shibori, adire iorubá e serigrafia manual pochoir, assim como criação de estampas padronadas para reprodução industrial. nos últimos anos vem realizando pesquisas sobre a escola soviética “vkhutemas”, tendo sido co-curador da mostra “vkhutemas: o futuro em construção 1918-2018”, que aconteceu no sesc pompéia de junho a setembro de 2018, com itinerâncias no sesc rio preto e sesc sorocaba no ano de 2019. publica em abril de 2020, em parceria com a pesquisadora de cultura russa neide jallageas, o livro “vkhutemas: desenho de uma revolução 1918-1930”.

6 encontros de 3 horas
20 e 27 de abril e 04, 11, 18 e 25 de maio 
segundas-feiras
horário: 19 às 22 hs.
número de vagas: 20
custo: sócio ou amigo do iabsp: r$ 175,00 | não sócio do iabsp: r$ 250,00

o valor pode ser pago por boleto ou parcelado sem juros no cartão de crédito

clique aqui e faça a sua inscrição

obs.: o desconto para associados é aplicado automaticamente após inserir os dados pessoais durante a compra do ingresso