chamada iab – monumentos

a discussão de remoção e demolição de monumentos no espaço público não é nova.
a história mostra inúmeros casos de revoltas que levaram à demolição de símbolos que, se em algum momento representavam discursos aceitos, passaram, em períodos sucessivos, a ser rejeitados por parcelas da população. assim, mobilizações sociais desafiaram, intervieram, mutilaram, derrubaram e destruíram esses símbolos. por sua vez, com o discurso da necessidade de desenvolvimento, o estado também destruiu monumentos nas cidades, apagando edifícios e lugares simbólicos, significativos para diversos grupos sociais. são esses movimentos que levaram, a posteriori, a um posicionamento institucional, seja com a criação de órgãos de defesa do patrimônio cultural ou inclusive com a criação de museus para salvaguardar parte desses monumentos “em risco”.

o iab entende que o debate a respeito dos monumentos em espaços públicos deve se qualificar a partir da participação ampla da sociedade e dos diversos grupos que a compõem.

a cidade como espaço de convívio, debates, manifestações múltiplas, que dão voz à diversidade, que compõe a sociedade, deve ser discutida constantemente. assim, a possibilidade de releitura e ressignificação de monumentos, espaços, nomenclaturas, que podem ter sido normalizados, precisa ser debatida mobilizando desde falas institucionais (públicas e privadas), ou de entidades da sociedade civil, quanto de movimentos sociais, os mais variados.

o tema exige a compreensão de sua complexidade e das variadas possibilidades de atuação. como entidade representativa de arquitetos e urbanistas, categoria que atua na formulação de políticas urbanas e em projetos de intervenção na materialidade da cidade, o iab pretende abrir espaço para a discussão e se posicionar no sentido de qualificar o debate sempre com o olhar voltado para uma cidade mais democrática e representativa da sociedade.

parte do princípio de que a história oficial e consagrada está sempre sujeita a releituras, principalmente no que diz respeito a permitir a ampliação da participação da sociedade.

assim, a ideia de propor uma chamada aberta para debates sobre o tema não pretende dar respostas definitivas, mas permitir compreender as diversas manifestações de diferentes grupos sociais a fim de qualificar o debate.

chamada de propostas

o iabsp convoca todas(os) as(os) interessadas(os) a refletir sobre os monumentos na cidade de são paulo, a apresentar propostas de debate online. assim, o iabsp pretende ampliar a discussão a partir do posicionamento e das questões colocadas pelos interessados em participar.

as propostas devem indicar um tema e a possibilidade de debate online de até 4 pessoas com tempo de 1 hora a 1,5 hora de duração.

o iabsp selecionará 3 propostas que serão organizadas em conjunto. os debates contarão com, no mínimo, o proponente, um nome escolhido pelo iabsp e outros nomes escolhidos de comum acordo.

as propostas apresentadas devem ter título (tema), identificação do proponente e texto de no máximo 500 palavras descrevendo o recorte escolhido e devem ser enviadas pelo formulário de inscrição até dia 10 de julho de 2020.

clique aqui para acessar o formulário de inscrição