NOTA DE REPÚDIO DEMISSÃO DE PROFESSORES EM MASSA

 

 

 

O Instituto de Arquitetos do Brasil – São Paulo (IAB-SP) vem, desde abril, fomentado uma série de debates para discutir e mapear o impacto da pandemia no ensino de Arquitetura e Urbanismo. Esse processo foi iniciado, acima de tudo, pelos alarmes que soavam da ABEA (Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo) e da FeNEA (Federação Nacional de Estudantes de Arquitetura e Urbanismo): o perigo da aceleração da precarização do ensino e das condições de trabalho dos professores universitários. Isso porque estes processos, vinculados à redução de carga horária e enxugamento de quadros funcionais, foram viabilizados pela adoção de plataformas EaD (Ensino a Distância) que avançavam sobre a grade curricular dos cursos.

A nossa suspeita era de que essas manobras realizadas para manter os lucros ascendentes em numerosas instituições de ensino privadas brasileiras, que atuam na massificação – e não democratização – do acesso ao ensino superior, ganhariam novo impulso diante da flexibilização que permitiu a “substituição das disciplinas presenciais, em andamento, por aulas que utilizem meios e tecnologias de informação e comunicação” autorizada pelo MEC (Portaria Nº 343, de 17 de março de 2020), em resposta ao longo período de isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

O recente episódio da demissão de mais de 300 professores da Uninove por meio da própria plataforma digital de ensino é a confirmação de nossa suspeita. Mas, acima de tudo, é um triste relato do tempo em que vivemos.

Expressamos nossa solidariedade aos professores e aos estudantes que sofreram com esses cortes, sobretudo nas circunstâncias ocorridas. A luta pelo ensino de qualidade e acessível é de todas e de todos.

O IAB-SP vem por meio desta nota expressar seu repúdio pela forma com que o processo foi conduzido pela instituição. Esse evento toca mais uma vez o alarme sobre a forma mercantil, violenta e precária que com a qual vêm sendo conduzidas as políticas do Ensino Superior Privado.

São Paulo, 24 de junho de 2020