EDITAL PROAC nº 17/2020

O Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento São Paulo (IABsp) é contemplado no “Edital ProAC Expresso nº 17/2020 – Manutenção e Modernização de Espaços Culturais Independentes” do Governo do Estado de São Paulo.

Recursos serão destinados para manutenção e melhorias previstas no restauro do Edifício IAB, oferecimento de cursos e palestras gratuitas, além de investimentos na equipe técnica e modernização de equipamentos.

No final de 2020 o Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento São Paulo (IABsp) foi um dos proponentes selecionados no “Edital ProAC Expresso nº 17/2020 – Manutenção e Modernização de Espaços Culturais Independentes”, organizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. O edital tem como propósito de selecionar entidades independendes, detentoras de centros e espaços culturais, que apresentem projetos de difusão cultural com significativa contribuição à sociedade, afim de qualificar seus espaços e recursos técnicos.

Fundado em 1943, o IABsp é uma entidade sem fins lucrativos de fomento à cultura arquitetônica e urbanística, localizada no centro de São Paulo, em defesa do direito à cidade, do projeto como instrumento de diálogo e da construção de cidades democráticas. Construído na década de 1940, o Edifício IAB é um dos principais exemplares de arquitetura moderna e patrimônio cultural da cidade, tombado nas três esferas de proteção ao patrimônio arquitetônico – municipal, estadual e federal. Aberto para cidade, próximo à estação do metrô república, abriga uma galeria no subsolo, um restaurante no térreo, um café no salão principal – onde ocorrem as principais atividades culturais, como palestras, debates, seminários, exposições, exibição de filmes entre outras formas de produção de conteúdo – e escritórios de arquitetura e design nos andares comerciais.

Como serão aplicados os recursos recebidos?
Os recursos são condicionado à realização de ações culturais e iniciativas vinculadas à manutenção e modernização dos espaços culturais do IABsp. Assim, os recursos serão destinados para promoção de palestras e cursos gratuitos, abertos ao público, sobre diferentes aspectos e práticas contemporâneas da cultura arquitetônica e urbanística; avançar nas melhorias previstas no projeto de restauro do Edifício IAB (como adequações necessárias à acessibilidade universal e restauro dos caixilhos); aquisição e modernização de equipamentos, bem como investimentos na equipe técnica do IABsp.

Atividades culturais abertas ao público
Será realizado um conjunto de palestras e cursos gratuitos, abertos ao público (com transmissão nos canais do Youtube, Facebook e Twitter do IABsp), sobre diferentes aspectos e práticas contemporâneas da cultura arquitetônica e urbanística:

Ficha Técnica
Realização:
Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de São Paulo
Presidente: Fernando Túlio Salva Rocha Franco
Diretor Executivo Adjunto: Rafael Mielnik
Diretor Executivo: Marcelo Fonseca Ignatios
Diretora de Ensino: Mariana Martinez Wilderom Chagas
Coordenadora Geral: Leila Gazzaneo
Coordenador de Cursos: Jaime Solares
Coordenadora de Redes Sociais: Thuany Orti Guirao
Design: Emerson Fioravante


CURSOS

APLICAÇÃO DA TRANSFERÊNCIA DO DIREITO DE CONSTRUIR NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO
Datas: 12, 19 e 26 de maio de 2021
Horário: 19h às 21h
Carga-horária:
6h – 3 aulas de 2h
Vagas: 40
Curso gratuito

Coordenação: Maria Thereza Moreira

Ministrante: Flavia Taliberti Peretto
Arquiteta urbanista (FAUUSP), mestre em planejamento urbano e regional (FAUUSP) com conhecimento e experiência em planejamento urbano e patrimônio cultural. Atuou na Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo durante mais de 5 anos, onde participou da revisão da atual Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo e foi conselheira do CONPRESP. Atualmente é conselheira do CAU-SP e Coordenadora da Área de Estudos da Soluções Regularização Imobiliária.

Ministrante: Marcella Martins Montandon
Advogada, associada do escritório Duarte Garcia Serra Netto e Terra Advogados, com atuação nas áreas de Direito Público e Urbanístico, especialista em Direito Imobiliário pela FGV/SP. Integrante da Comissão de Direito Urbanístico do IBRADIM.

Ementa: A Transferência do Direito de Construir (TDC) é um instrumento previsto pelo Estatuto da Cidade, disciplinada em lei municipal, que permite ao proprietário do imóvel objeto de alguma restrição imposta pelo Poder Público – como o tombamento – a exercer ou alienar o direito de construir que lhe foi restrito para outros terrenos da cidade. O curso abordará os instrumentos de preservação do patrimônio cultural e o histórico sobre a aplicação da Transferência do Direito de Construir na cidade de São Paulo. O curso trará, ainda, o fluxograma, a metodologia e a fórmula de cálculo da TDC sem doação de imóveis; da transferência de potencial construtivo na Operação Urbana Centro; das perspectivas de sua aplicação no PIU Setor Central, bem como da TDC com doação de imóveis, trazendo exemplos práticos e didáticos.

Público-alvo: Estudantes e profissionais da arquitetura, urbanismo, construção civil e pessoas interessadas no tema.

Plano de aula:
Aula 1 – Instrumentos de preservação do patrimônio e histórico sobre a transferência do direito de construir na cidade de São Paulo;
Aula 2 – Transferência do Direito de Construir sem doação de imóveis e Transferência do Direito de Construir na Operação Urbana Centro (nesta aula vamos passar alguns exercícios aos alunos);
Aula 3 – Transferência do Direito de Construir com doação de imóveis e resolução de exercícios.


PATRIMÔNIOS NA CIDADE E INVENTÁRIOS PARTICIPATIVOS
Datas: 24, 28 e 31 de maio de 2021
Horário: 19h às 21
Carga-horária: 6h – 3 aulas de 2h
Vagas: 40
Curso Gratuito

Ministrante: Fernanda Biondo
Mestre em Preservação do Patrimônio Cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Possui bacharel e licenciatura em História pela Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP. Foi consultora da UNESCO no Projeto de Cooperação Técnica Internacional, atuando na Coordenação de Educação Patrimonial do IPHAN (2015 a 2018). Também foi consultora no IPHAN-SC no projeto de inventário participativo e na Zanettini Arqueologia no desenvolvimento de levantamentos de campo e elaboração de ações educativas. É membro do Comitê Interpretações e Multiplas Narrativas do Icomos e Vice-presidente da Associação Pró Memória de Sumaré-SP.

Ministrante: Mariana Kimie da Silva Nito
Doutoranda na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Possui mestrado interdisciplinar em Preservação do Patrimônio Cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e é graduada em arquitetura e urbanismo pela Escola da Cidade. É membro da REPEP, Rede Paulista de Educação Patrimonial, onde coordenou o Inventário Participativo Minhocão Contra Gentrificação, entre outros projetos de valorização de referências culturais. É conselheira pelo IABsp na Comissão de Proteção a Paisagem Urbana (CPPU) da Prefeitura de São Paulo.

Ementa: Nunca se falou tanto em Educação Patrimonial como nas últimas décadas. Escolas, museus, universidades, ongs, órgãos de preservação, empresas de arqueologia e escritórios de arquitetura são alguns exemplos de lugares onde diferentes profissionais produzem atividades de educação patrimonial. Na oficina apresentaremos algumas atividades educativas que tomam a arquitetura e a cidade como mediadoras de um processo problematizador das concepções de patrimônio e educação.

Público-alvo: Estudantes e profissionais da arquitetura, urbanismo, construção civil e pessoas interessadas no tema.

Plano de aula:
Aula 1: Educação Patrimonial na arquitetura e na cidade. (aula síncrona)
Aula 2: Exercícios e reflexões individuais. (aula assíncrona)
Aula 3: Debate sobre os exercícios e reflexão crítica sobre educação e patrimônio. (aula síncrona)


TRANSFORMAÇÕES E PERMANÊNCIAS: VILA ITORORÓ E A PRESERVAÇÃO EM SÃO PAULO
Datas: 02, 09, 16, 23 e 30 de junho de 2021
Horário: 19h às 21h
Carga-horária: 10h – 5 aulas de 2h
Vagas: 20
Curso gratuito

Ministrante: Vivian Barbour
Bacharela em Direito pela USP (2012) e mestre em Arquitetura e Urbanismo pela mesma instituição (2017). Atualmente, é graduanda em Arquitetura e Urbanismo, também pela USP (2020-). Atua em campo multidisciplinar, relacionando questões legais e urbanísticas ao estudo crítico do patrimônio cultural. Colaborou com diversos projetos de história oral, como caminho para a construção de significados e usos diversos do patrimônio. São alguns deles: “Memória presente: construindo um arquivo modernista”, relacionado à Casa Modernista da Rua Santa Cruz, de Gregori Warchavchik (2013-2014, Museu da Cidade de São Paulo | SMC); e “Vila Itororó Canteiro Aberto (2017, SMC). Membro da Comissão de Direito Urbanístico da OAB/SP e da Association of Critical Heritage Studies (ACHS). É autora do livro “O patrimônio existe? Sentidos da Vila Itororó” (2019). Atualmente, atua como advogada e pesquisadora.

Ementa: O curso propõe uma reflexão que retira o patrimônio de lugar de valor imanente e o coloca como suporte de valores e significados construídos socialmente. A prática patrimonial revela-se como ato político e seus instrumentos traduzem, na prática, o modo como a sociedade constrói a noção de bem cultural, entre transformações e permanências conceituais e práticas.

Por meio do processo de patrimonialização da Vila Itororó, iremos abordar o movimento pendular por que passaram as políticas e instrumentos de preservação do patrimônio em São Paulo a partir dos anos 1970: zoneamento, tombamento, planejamento e política urbana. A proposta é que nos apropriemos desse histórico para revelar e dar intencionalidade política às ações de preservação.

Público-alvo: Estudantes e profissionais da arquitetura, urbanismo, construção civil e pessoas interessadas no tema.

Plano de aula:
Aula 01 | A cidade como bem cultural. Provocações sobre o que entendemos como patrimônio cultural.
Aula 02 | Pensando em conceitos: consolidação do patrimônio no Brasil, movimento de revisão conceitual e os critical heritage studies.
Aula 03 | Vila Itororó entra na agenda do poder público: zoneamento e tombamento e as distintas abordagens do problema.
Aula 04 | Vila Itororó inserida na Bela Vista: planejamento e/ou tombamento do tecido urbano?.
Aula 05 | Vila Itororó e a política urbana: o patrimônio no debate do direito à cidade


MOBILIDADE ATIVA E DESENHO URBANO
Datas: 14,21,28 de junho de 2021
Horário: 19h às 21h
Carga-horária: 6h – 3 aulas de 2h
Vagas: 30
Curso gratuito

Ministrante: Suzana Nogueira
Arquiteta e pedagoga. Atua há 20 anos na área de planejamento e projetos de mobilidade urbana, e há 8 anos com projetos para a mobilidade ativa. Adail Zerio Junior é tecnólogo, especializado em engenharia e gestão de trânsito. Atua há 30 anos com projetos viários, e há 7 anos com projetos para a mobilidade ativa.

Ementa: O curso visa apresentar conceitos da mobilidade ativa (mobilidade a pé e por bicicletas), os aspectos legais, gestão de dados, noções de planejamento e projetos para desenhos viários

Público-alvo: Estudantes e profissionais da arquitetura, urbanismo, construção civil e pessoas interessadas no tema.

Plano de aula:

Módulo 1: Conhecendo melhor Mobilidade Ativa
Parte 1: Apresentação do curso e dinâmica para apresentação dos participantes (nome, palavra de conexão com a mobilidade ativa): 20 minutos
Dinâmica: usando a ferramenta Mentimeter.
Parte 2: Entendendo a Mobilidade Ativa: 20 minutos.
Parte 3: Bases Legais (Legislação Nacional, Estadual, Municipal de Mobilidade e de Parâmetros Urbanísticos): 30 minutos
Dinâmica: usando a ferramenta Miro: 10 minutos, mas ficará aberta para contribuições durante todo o curso.
Parte 4: Levantamento de dados sobre Mobilidade Ativa (sinistros de trânsito, contagens, aplicativos): 30 minutos
Dinâmica: usando a ferramenta Miro: 10 minutos, mas ficará aberta para contribuições durante todo o curso.

Módulo 2: Elementos da mobilidade ativa: infraestrutura para circulação e permanência
Parte 1: Princípios e diretrizes para pensar a infraestrutura: 20 minutos.
Parte 2: Infraestrutura para a mobilidade a pé: elementos de circulação e permanência: 30 minutos.
Dinâmica: usando a ferramenta Miro: 20 minutos, mas ficará aberta para contribuições durante todo o curso.
Parte 3: Infraestrutura para a mobilidade por bicicletas: elementos de circulação e permanência: 30 minutos.
Dinâmica: usando a ferramenta Miro: 20 minutos, mas ficará aberta para contribuições durante todo o curso

Módulo 3: Desenhando soluções para a mobilidade ativa
Parte 1: Estudo de caso de território, a atividade será feita junto à dinâmica na plataforma Miro: 40 minutos.
Parte 2: Estudo de caso de loteamento, a atividade será feita junto à dinâmica na plataforma Miro: 30 minutos.
Parte 3: Estudo de caso de grande empreendimento, a atividade será feita junto à dinâmica na plataforma Miro: 30 minutos.
Parte 4: Considerações Gerais e Encerramento: 20 minutos
Dinâmica: usando a ferramenta Mentimeter


CIDADE E INFÂNCIAS: PERSPECTIVAS DA EXPERIÊNCIA
Datas: 24 de junho e 01 de julho de 2021
Horário: 19h às 21h
Carga-horária: 4h – 2 aulas de 2h
Vagas: 50
Curso gratuito

Ministrante: GT Cidade, Infâncias e Juventudes – IABsp

Ursula Troncoso
Arquiteta e urbanista com pós-graduação na Universidade Politécnica da Catalunha, estudou Mobilidade para Primeira Infância (CECIP-RJ), e Espaços de Aprendizagem Outdoor para Primeira Infância, na Natural Learning Initiative (North Carolina State University). É coordenadora de Educação Urbana do Instituto A Cidade Precisa de Você e desenvolve o projeto Cidade para Crianças, que discute território e cidade com os pequenos. É consultora da fundação holandesa Bernard van Leer, no programa Urban95 Brasil, que advoga por cidades amigas da infância.

Camila Sawaia
Pedagoga pelo Instituto Singularidades e arquiteta e urbanista pela FAUUSP. Com apoio da USP, realizou pesquisa internacional na Universidade Politécnica da Catalunha sobre o “Plan de Juegos”, uma política municipal de Barcelona que promove uma nova visão do brincar e do espaço público, projetando maiores e melhores locais para o brincar diverso e inclusivo ao ar livre. É professora de educação infantil, integrante do Instituto A Cidade Precisa de Você e co-idealizadora do CoCriança, coletivo que busca promover aprendizagem vivencial para valorizar a voz da criança na co-criação de espaços de brincar inovadores.

Carolina Clasen
Artista e educadora, com Mestrado em Arquitetura e Urbanismo (2018) colabora com a realização de pesquisas e ações artísticas junto a espaços expositivos e públicos. Através de discussões permeadas pelas teorias da cidade, sociologia da infância e da educação, investiga o cotidiano das infâncias em situação de rua no centro de São Paulo. É integrante do GT Cidade, Infâncias e Juventudes vinculado ao Instituto dos Arquitetos Brasileiros de São Paulo (IAB-SP) que assinou a publicação do Manual Técnico para Escolas Saudáveis (APEOESP-IAB).

Ayumy Pompeia
Arquiteta e urbanista pela FAUUSP, com intercâmbio de um ano na Universidade Politécnica da Catalunha (ETSAV-UPC). Tem experiência em atividades com crianças e jovens e em projetos que articulam espaço e educação. É integrante do Coletivo CoCriança, do grupo Cenários Pedagógicos e do GT Cidade Infâncias e Juventudes, vinculado ao IAB-SP. Colaborou com o escritório catalão Equal Saree – de arquitetura e urbanismo com perspectiva de gênero -, e integrou a equipe do Educativo da FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) 2018.

Gabriela Viola
Arquiteta e urbanista pela UNESP (Bauru). Faz parte do coletivo do GT Cidade, Infâncias e Juventudes, vinculado ao IAB-SP e do CoCriança, coletivo que busca promover aprendizagem vivencial para valorizar a voz da criança na co-criação de espaços de brincar inovadores. É socio educadora no projeto “Escola Ativa: o despertar para o esporte”, do Instituto Corrida Amiga, patrocinado pelo Atacadão via Lei de Incentivo ao Esporte.

Ementa: Vamos juntos compreender experiências e metodologias aplicadas em diversos territórios que promovem o debate com a sociedade civil, gestores públicos e urbanistas e incentivam a elaboração de políticas públicas em prol das infâncias e juventudes urbanas. Propomos olhar para a relação da cidade com as infâncias e pensar a construção de uma cidade inclusiva, garantindo sua escuta e seu reconhecimento enquanto cidadãos. Neste mini curso, além de trazer aspectos básicos e fundamentais da relação das crianças com os espaços urbanos, validamos a multiplicidade de olhares e ações, trazendo experiências e pesquisas para complementar teorias e conceitos sobre o tema.

Público-alvo: Estudantes e profissionais da arquitetura, urbanismo, construção civil e pessoas interessadas no tema.

Plano de aula:
Aula 1: Território educador: por cidades inclusivas
Nesta aula, o Manifesto elaborado pelo GT Infâncias, Cidades e Juventudes é disparador para pensarmos quais nossas práticas e contribuições diretas para a garantia d e espaços seguros para as crianças. O Manifesto disparador será exercitado pelo grupo, como forma de refletir sobre as experiências teóricas e práticas.

Aula 2: Mobilidade: percursos das crianças
Aula cujas principais temáticas apresentadas serão: Mobilidade e Infância. Os temas elencados serão expostos a partir de repertório teórico-prático, oferecendo aos participantes um percurso por uma experiência reflexiva, a partir de atuações protagonizadas pelas crianças.

 



PALESTRAS

  • Nome da Palestra 1“, com Nome da Palestrante
    (texto descritivo sinético sobre a palestra de 2 frases) Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.
    Dia XX de xxxxxx de 2021, às XXhXX.
  • Nome da Palestra 2“, com Nome da Palestrante
    (texto descritivo sinético sobre a palestra de 2 frases) Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.
    Dia XX de xxxxxx de 2021, às XXhXX.
  • Nome da Palestra 3“, com Nome da Palestrante
    (texto descritivo sinético sobre a palestra de 2 frases) Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.
    Dia XX de xxxxxx de 2021, às XXhXX.
  • Nome da Palestra 4“, com Nome da Palestrante
    (texto descritivo sinético sobre a palestra de 2 frases) Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.
    Dia XX de xxxxxx de 2021, às XXhXX.
  • Nome da Palestra 5“, com Nome da Palestrante
    (texto descritivo sinético sobre a palestra de 2 frases) Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.
    Dia XX de xxxxxx de 2021, às XXhXX.
  • Nome da Palestra 6“, com Nome da Palestrante
    (texto descritivo sinético sobre a palestra de 2 frases) Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.
    Dia XX de xxxxxx de 2021, às XXhXX.
  • Nome da Palestra 7“, com Nome da Palestrante
    (texto descritivo sinético sobre a palestra de 2 frases) Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.
    Dia XX de xxxxxx de 2021, às XXhXX.
  • Nome da Palestra 8“, com Nome da Palestrante
    (texto descritivo sinético sobre a palestra de 2 frases) Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur.
    Dia XX de xxxxxx de 2021, às XXhXX.

 

Para maiores informações entre em contato:
iabsp@iabsp.org.br
(11) 99541-3686