rascunho representantes

Em seus mais de 75 anos de existência o IABsp realiza a representação do coletivo de profissionais de Arquitetura e Urbanismo do estado de São Paulo junto ao Poder Público, por meio da participação em instâncias de participação social, como conselhos, comitês, conferências e audiências públicas, com o propósito de realizar efetiva contribuição nos processos de planejamento, execução, monitoramento e avaliação de políticas públicas urbanas e ambientais.

O fortalecimento dos instrumentos e instâncias de diálogo entre o Poder Público e a sociedade civil, respaldados pela Política Nacional de Participação Social é ação fundamental para consolidação da democracia participativa no país. Trata-se do entendimento da participação social como um direito fundamental à cidadania, garantindo o envolvimento da sociedade civil na formulação, acompanhamento e implementação de políticas e programas públicos, meio pelo qual é possível exercer o controle social e a gestão democrática.
O IABsp incide decisivamente em políticas públicas com impacto no desenvolvimento das cidades e vida de
seus habitantes, nas mais variadas temáticas transversais ligadas ao campo da Arquitetura e Urbanismo como meio ambiente, política urbana, habitação, patrimônio cultural, mobilidade urbana, saneamento ambiental, segurança alimentar, legislação edilícia e urbanística. Têm o propósito de fortalecer os mecanismos de representatividade: em defesa do direito à cidade, do projeto como instrumento de diálogo e da construção de cidades democráticas.

Veja a relação das instâncias de participação social que o IABsp possui representantes:


CADES
[Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – Prefeitura do Município de São Paulo]

Órgão consultivo e deliberativo em questões referentes à preservação, conservação, defesa, recuperação e melhoria do meio ambiente natural, construído e do trabalho, em todo o território do Município de São Paulo. Compete ao CADES colaborar na formulação da política municipal de proteção ao Meio Ambiente, à luz do conceito de desenvolvimento sustentável, através de recomendações e proposições de planos, programas e projetos bem como propor diretrizes, normas, padrões e procedimentos para a proteção, conservação e recuperação dos recursos ambientais e ao desenvolvimento do Município de São Paulo.

_saiba mais: www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/cades

Estela Macedo Alves (titular)
Pós-doutoranda no Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE-USP) sobre o tema de políticas de esgotamento sanitário (2019-2021) e Pesquisadora do Laboratório de Estudos de Governança Ambiental e Desigualdades Socioambientais (LEGADO). Doutora em Ciências pelo Programa de Pós-graduação em Ciência Ambiental (PROCAM-IEE-USP). Foi pesquisadora do Grupo de Acompanhamento e Estudos em Governança Ambiental (GOVAMB – IEE USP), entre 2014 e 2018, em que desenvolveu pesquisa junto a grupo internacional que resultou no livro Water Conflicts and Hydrocracy in the Americas – Coalitions, Networks, Policies. Mestra em Arquitetura e Urbanismo, na área de Planejamento Urbano e Regional, pela FAU USP (2006-2009) e Graduada em Arquitetura e Urbanismo (1997-2003) também pela FAU USP. Experiência de pesquisa sobre os temas: saneamento; meio ambiente e água; planejamento urbano e regional; equipamentos urbanos e ArcGIS aplicado à análise urbana. Realizou estágio doutoral (doutorado sanduíche) no Instituto HydroQuébec – Meio Ambiente, Desenvolvimento e Sociedade, Universidade Laval, Québec, Canadá. Foi Docente nas Instituições: Universidade Nove de Julho (Uninove), no curso de Engenharia Civil, disciplinas de Hidráulica e Saneamento e nas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), nos cursos de Planejamento Urbano e de Planejamento Ambiental.
Leonardo Rafael Musumeci (suplente)
Arquiteto e urbanista (2004-2008: EESC-USP), bacharel (FFLCH-USP: 2013-2017) e licenciando (2017-2020: FE-USP) em filosofia, e especialista em Meio Ambiente e Sociedade (2014-2016: FESPSP). Pesquisador do Laboratório de Estudos do Ambiente Contemporâneo (2007-2011) na linha de espacialidades urbanas contemporâneas e, atualmente, vinculado ao grupo interdisciplinar de pesquisas em Sistemas de Informações Geográficas Participativos (FSP-USP), trabalhando articulações entre território, participação social e inteligência de cidades.
Desenvolve desde 2009 projetos de arquitetura e planejamento urbano, inclusive, com premiações em concursos nacionais de projeto; e, há 10 anos, atua na área de desenvolvimento urbano e sustentabilidade, com ênfase na análise de dados de cidades, relações institucionais e gestão ambiental. Tem passagem tanto por empresas privadas de inteligência de negócios sociais, na elaboração de diagnósticos socioeconômicos e planos de investimentos sociais em mais de 90 municípios do Brasil e de Angola; como pelo setor público, enquanto gestor de políticas de saneamento ambiental, tendo participado de diversos colegiados e estudos técnicos municipais e intermunicipais.

CEAU
[Colegiado Permanente das Entidades Nacionais de Arquitetos e Urbanistas]

As instituições de Arquitetura e Urbanismo compõem o Colegiado Permanente das Entidades Nacionais de Arquitetura e Urbanismo (CEAU) em âmbito federal ou estadual. Esse colegiado funciona como instância consultiva para o CAU/BR e os CAU/UFs. Em São Paulo, o CEAU/SP se reúne bimestralmente na sede do CAU/SP na capital paulista. As entidades que compõe o CEAU/SP são: ABAP, ABEA, AsBEA, IAB-SP, SASP e FAEASP.

_saiba mais: www.causp.gov.br/ceausp

fernando túlio salva rocha franco (titular)
arquiteto urbanista pela usp, mestre em políticas públicas pela fgv e doutorando em planejamento urbano e regional pela fauusp. é presidente do instituto de arquitetos do brasil – são paulo, gestão premiada em 2019 pela associação paulista dos críticos de arte (apca) na categoria arquitetura. integrante da comitiva brasileira de 2020 para o programa de liderança executiva em desenvolvimento da primeira infância de harvard.
gabriela de matos (suplente)
arquiteta e urbanista, graduada pela faculdade de arquitetura e urbanismo da puc minas, em 2010.  em 2016, especializou-se em sustentabilidade e gestão do ambiente construído pela ufmg. é fundadora do projeto arquitetas negras que atualmente mapeia a produção de arquitetas negras brasileiras. pesquisa o racismo estrutural e suas influências no planejamento urbano, e arquitetura contemporânea produzida em áfrica e sua diáspora. entre outros, propõe ações que promovem o debate de gênero e raça na arquitetura como forma de dar visibilidade à questão. assina o editorial da revista arquitetas negras vol.1, a primeira publicação feita por arquitetas negras no brasil. é atualmente 1ª vice presidente do instituto de arquitetos do brasil no departamento de são paulo (iabsp).

CEUS
[Conselho Estratégico Universidade Sociedade da Unifesp]

O CEUS é composto por 60 conselheiros, representantes da sociedade civil, setores público e privado, com mandato de dois anos, com possibilidade de recondução por mais dois, mediante participação em novo edital, além de membros natos da Unifesp. Caberá a este conselho propor e debater temas de interesse local, nacional e internacional que orientem as ações de ensino, pesquisa e extensão da Unifesp, programas e ações acadêmicas, metodologias de ensino inovadoras, baseada em problemas, evidências e contextos reais, alinhado com as necessidades da sociedade brasileira. O órgão também buscará colaborar com a avaliação do estudante egresso da Unifesp, com a proposição de parcerias com movimentos sociais, órgãos de classe e entidades civis, além de parcerias público-privadas para investimentos estratégicos da Unifesp, incluindo novas infraestruturas e áreas de pesquisa.

_saiba mais: www.unifesp.br

Samira Bueno Chahin (titular)
Arquiteta e urbanista (FAU-USP, 2008), especialista em Gestão do Patrimônio Cultural (Universidade de Salamanca, 2011). Defendeu a dissertação de mestrado intitulada “Escolas, cidades e disputas: lugares da educação libertária” (FAU-USP, 2013) e a tese de doutorado “Cidade nova, escolas novas? Anísio Teixeira, arquitetura e educação em Brasília (FAU-USP, 2018). Realizou estágio de pesquisa no Teachers College da Universidade de Columbia (2017) e, como bolsista da Fundación Carolina, foi pesquisadora visitante do Instituto de Ciências do Patrimônio, INCIP-CSIC, sediado pela Universidad Santiago de Compostela, Espanha (2011-2012). Atualmente é docente do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Facens, Sorocaba, onde é também responsável pelo projeto de pesquisa “Tecnologias de Formação, Escuta e Participação Social”. Pesquisadora associada do Museu da Educação do Distrito Federal (UnB) e membro do Comitê Editorial do projeto Arquitetura e Escrita, coordenado pelo professor José Tavares Correia de Lira. No IAB-SP, além de representante no CEUS-Unifesp, compõe a equipe do projeto “Lugares de Interação, metodologia participativa para transformação do entorno escolar”.

CMH
[Conselho Municipal de Habitação – Prefeitura do Município de São Paulo]

O Conselho Municipal de Habitação foi instituído pela Lei Municipal nº 13.425/02 e tem caráter consultivo, fiscalizador e deliberativo. Órgão da política habitacional da Cidade, é norteado pela idéia de paridade em relação à representação do poder público, movimentos populares por moradia e sociedade civil, assegurando espaço a todos os segmentos. Participam do Conselho sindicatos, empresários, educadores, líderes de movimentos sociais e gestores públicos.

_saiba mais: www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/habitacao

Samira Rodrigues de Araujo Batista (titular)
Arquiteta e Urbanista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Trabalhou com HIS em gerenciadora, movimento de moradia e na COHAB-SP. Atualmente, é sócia na Cacho Arquitetura e conselheira no CMH pelo IABSP, além de participar da comissão executiva do CMH.
Ana Gabriela Akaishi (suplente)
Arquiteta e Urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2010). Mestre em Planejamento e Gestão do Território pela Universidade Federal do ABC (2013). Trabalhou com Habitação de Interesse Social, urbanização de favelas e planejamento da política habitacional e urbana na Prefeitura de São Paulo, São Bernardo do Campo e Osasco. Atualmente é doutoranda em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de São Paulo (FAU-USP), na área de concentração Habitat, linha de pesquisa ‘Questões fundiárias e imobiliárias, moradia social e meio ambiente’.

CMPU
[Conselho Municipal de Política Urbana]

constituído pela lei Nº 13.430, de setembro de 2002 – Plano Diretor Estratégico (PDE) de São Paulo, foi criado com a intenção de institucionalizar a participação da população nas decisões tomadas pelo poder público, referentes às políticas de desenvolvimento urbano, consolidando o conceito de gestão democrática no município.

_saiba mais: www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/urbanismo

simone gatti (titular)
arquiteta e urbanista pela universidade estadual de londrina com doutorado-direto pela fauusp. Realizou pós doutorado na mesma instituição, em parceria com a promotoria de habitação e urbanismo do ministério público do estado de são paulo e com o urban democracy lab da new york university, onde foi pesquisadora visitante. é consultora do programa de monitoramento de políticas urbanas sustentáveis na américa latina da onu habitat e pesquisadora do napplac da fau usp. Atuou como pesquisadora colaboradora do Observatório de Remoções (LabCidade-FAUUSP), foi consultora do programa soluções para cidades da ABCP e do Instituto Pólis e coordenadora de planos e projetos urbanos na TC Urbes e na Arquitetur, desenvolvendo trabalhos para prefeituras e sub-prefeituras brasileiras, para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e para o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). exerce pesquisa e consultoria sobre políticas públicas, habitação, gestão participativa e espaços públicos.
gabriela de matos (suplente)
arquiteta e urbanista, graduada pela faculdade de arquitetura e urbanismo da puc minas, em 2010.  em 2016, especializou-se em sustentabilidade e gestão do ambiente construído pela ufmg. é fundadora do projeto arquitetas negras que atualmente mapeia a produção de arquitetas negras brasileiras. pesquisa o racismo estrutural e suas influências no planejamento urbano, e arquitetura contemporânea produzida em áfrica e sua diáspora. entre outros, propõe ações que promovem o debate de gênero e raça na arquitetura como forma de dar visibilidade à questão. assina o editorial da revista arquitetas negras vol.1, a primeira publicação feita por arquitetas negras no brasil. é atualmente 1ª vice presidente do instituto de arquitetos do brasil no departamento de são paulo (iabsp).

CMTT
[Conselho Municipal de Transporte e Trânsito]

é a instância que propicia a participação e o controle social das ações voltadas à mobilidade na cidade de São Paulo.
tem regimento próprio e agenda autônoma com as reuniões presididas pelo secretário municipal de mobilidade e transporte, e suas decisões são publicadas no site da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT), e, em alguns casos, no Diário Oficial do Município.

_saiba mais: www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/transportes

Ligia Miranda de Oliveira (suplente)
Arquiteta e urbanista graduada na Universidade Braz Cubas e especialista em Projetos para Cidade Contemporânea pela Universidade Mackenzie. Trabalhou por oito anos com Urbanização de Assentamentos Precários, como coordenadora técnica, administrativa e financeira de contratos, e coordenadora técnica de projetos e obras. É professora no Estúdio Vertical na Faculdade de Arquitetura Escola da Cidade desde 2016.

ODS
Comissão Municipal para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

O Brasil tem papel fundamental a desempenhar na promoção da Agenda Pós-2015, a chamada Agenda 2030, que reúne os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Eles correspondem ao conjunto de programas, ações e diretrizes que orientarão os trabalhos das Nações Unidas e de seus países membros rumo ao desenvolvimento sustentável. Conheça mais sobre a Agenda 2030.

_saiba mais: www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente

Kaísa Isabel da Silva Santos (titular)
formada em arquitetura e urbanismo pela universidade braz cubas, trabalha com autonomias em diferentes esferas e atua na área de acessibilidade desde 2007. responsável por consultoria de acessibilidade para inclusão de diversas instituições, a profissional também foi colaboradora do escritório ahu! consultoria de acessibilidade durante cinco anos. atualmente a profissional desenvolve pesquisa com ênfase em autonomia de pessoas, inclusão e o desenho do arquiteto.

COMUSAN
[Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional – Prefeitura do Município de São Paulo]

O Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional foi criado na I Conferência Municipal de Segurança Alimentar de São Paulo, em 2001, e tornado oficial pelo Decreto nº 42.862/03.

_saiba mais: www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/desenvolvimento/abastecimento

Anna Kaiser (titular)
Arquiteta e Urbanista formada pela FAU-USP e mestre em Desenvolvimento Urbano pela Universidade Técnica de Lisboa. Trabalhou na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano – SMDU da Prefeitura de São Paulo de 2013 a 2018 e, desde 2017, em um projeto, coordenado pela SMDU e financiado pela Bloomberg Philanthropies, que tem como foco a articulação de políticas públicas na zona rural Sul de São Paulo.

 

CONDEPHAAT
[Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo]criado em 1968 – é a instância do Estado de São Paulo dedicada à preservação e defesa do patrimônio paulista. Como seu próprio nome indica, os temas que passam por este conselho são muito diversos, abrangendo todo o território do Estado de São Paulo. Os debates abrangem con-juntos edificados, conjuntos ambientais e urbanos, objetos artísticos, manifestações e represen-tações culturais e muitos outros domínios.

_saiba mais: http://condephaat.sp.gov.br

Renato Luiz Sobral Anelli (titular)
Professor titular do IAU USP São Carlos, conselheiro do Instituto Bardi / Casa de Vidro, representante do IAB SP no Condephaat e pesquisador do CNPq. É co-autor dos livros Rino Levi, Arquitetura e Cidade e Casas de Vidro, autor de Architettura Contemporanea Brasile, coordenador do Plano de Gestão e Conservação da Casa de Vidro (KIM Getty Foundation). Foi Secretário Municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos e Presidente do Conselho de Desenvolvimento Urbano de São Carlos. Professor e pesquisador visitante na Columbia University (NYC), HafenCity Universität (Hamburgo), University of Texas (Austin).
Eduardo Augusto Costa (suplente)
Professor de história do design e da arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Desde 2018 é responsável pela pesquisa “Cultura visual e história intelectual: Arquivos e coleções de arquitetura”, com financiamento da FAPESP. Publicou diversos livros como Arquivo, Poder, Memória: Herman Hugo Graeser e o Arquivo Fotográfico do IPHAN (2018), Perspectivas Contemporâneas sobre as Cidades Brasileiras (2018) e Arquitetura e Visualidade: A construção de um Moderno em Brazil Builds (2017) e ganhou alguns prêmios ligados à fotografia e à arquitetura, como o XI Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia (2010). Desde 2019, é conselheiro suplente no CONDEPHAAT, representando o Instituto dos Arquitetos do Brasil.

CONESAN
[Conselho Estadual de Saneamento – Governo do Estado de São Paulo]

Órgão consultivo e deliberativo, de nível estratégico para a definição e implementação da política de saneamento básico do Estado de São Paulo, fornecer subsídios para a formulação de diretrizes gerais para regulação dos serviços de saneamento básico estaduais, bem como acompanhar a aplicação dos recursos financeiros do Fundo Estadual de Saneamento – FESAN.

_saiba mais: https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/conesan/

Renata Moreira (titular)
Professora adjunta de Planejamento Ambiental e Urbano na Universidade Federal do ABC, na área de Engenharia Ambiental e Urbana. Graduada, mestre e doutora pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo com pesquisas nos temas de Infraestruturas e Serviços Urbanos – especialmente saneamento, Gestão de Riscos Urbanos e urbanização de assentamentos precários. Experiência profissional principalmente com o desenvolvimento de projetos para intervenções em favelas e assentamentos precários

CONFEMA
[Conselho do Fundo Especial do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável]

O CONFEMA tem como finalidade estabelecer as diretrizes, prioridades e programas de alocação de recursos do Fundo, em conformidade com a Política Municipal de Meio Ambiente, obedecidas as diretrizes federais e estaduais. Foi instituído pela Lei n.º 14.887, de 15 de janeiro de 2009, regulamentada pelo Decreto nº 52.153, de 28 de fevereiro de 2011 e Decreto nº 52.388, de 03 de junho de 2011, resolve aprovar na 149ª Sessão Ordinária de 20/12/2019.

_saiba mais: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/confema

Caio Boucinhas (titular)
Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (1967) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2005). Foi Secretário de Obras e Transportes da Prefeitura de Osasco, Diretor Técnico da COHAB-SP e Diretor do DEPAVE da PMSP. Foi Professor Visitante no PROURB da UFRJ e Professor Convidado na FAUUSP, na graduação e pós-graduação. Atualmente é pesquisador do Laboratório de Habitação e Assentamentos Humanos da FAUUSP e consultor de prefeituras (Santo André, Diadema, Taboão da Serra e Espírito Santo do Turvo). Tem experiência em planejamento urbano, paisagismo, processos participativos na produção do espaço público e gestão urbana e ambiental.

CONPRESP
[Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo]

conselho vinculado à Secretaria Municipal de Cultura, apoiado pelo corpo técnico do Departamento de Patrimônio Histórico, Foi criado sob a Lei nº 10.032/85 e é responsável pelo tombamento de bens culturais, naturais e históricos na cidade de São Paulo, visando à sua preservação de acordo com valores culturais, históricos, artísticos, arquitetônicos, urbanísticos, entre outros.

_saiba mais: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/conpresp/

Eneida de Almeida (titular)
Professora da Graduação e Pós-Graduação da Universidade São Judas Tadeu, possui doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela FAUSP (2010), mestrado em Studio e Restauro de Monumenti pela Università La Sapienza, Roma (1987), graduação em Arquitetura e Urbanismo pela FAUUSP (1981). É coeditora da revista acadêmica eletrônica arq.urb, do PGAUR/USJT. Tem experiência no ensino e na pesquisa científica com ênfase em História da Preservação da Arquitetura, dedicando-se às questões da memória e da preservação do patrimônio cultural em uma perspectiva alargada de reconhecimento e documentação em prol da afirmação da identidade e da cidadania.
Marianna Boghosian Al Assal (suplente)
Arquiteta e Urbanista, Mestre e Doutora em História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAUUSP. Diretora Adjunta do Conselho Científico da Associação Escola da Cidade onde leciona na graduação e pós-graduação. Conselheira do Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) desde 2017 representando o IABSP.

Conselho Gestor da Zeis das Quadras 37 e 38, Campos Elíseos

em observância ao Plano Diretor Estratégico da Cidade de São Paulo, foi criado o Conselho Gestor da ZEIS das Quadras 37 e 38, com a participação de moradores e comerciantes locais, para discutir e debater a proposta de intervenção para essas quadras, localizadas em Zona Especial de Interesse Social (ZEIS 3), Distrito de Santa Cecília, Subprefeitura da Sé.

_saiba mais: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/habitacao/participacao_social/conselhos

Beatriz Kara José (titular)
Formada Arquiteta e Urbanista pela Universidade de São Paulo (1997), Mestre em Estruturas Ambientais (2005) e Doutora em Planejamento Urbano e Regional (2010) pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.  Professora de Desenho Urbano e Planejamento Urbano no Bacharelados de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Senac. Atua na área de arquitetura e planejamento urbano, principalmente nos seguintes temas: habitação, reabilitação urbana, planejamento participativo, intervenções em áreas centrais e políticas intersetoriais voltadas para superação da vulnerabilidade sócio-espacial. Autora do livro “Políticas Culturais e Negócios Urbanos: a instrumentalização da cultura na revalorização do centro de São Paulo (1975-2000)”. São Paulo: Annablume; Fapesp, 2007.
Guilherme Moreira Petrella (suplente)
Arquiteto e urbanista pela FAUUSP em 2002. Mestre pela FAUUSP em 2009, com a dissertação «Das fronteiras do conjunto ao Conjunto das fronteiras», publicada em forma de artigo na revista da Pós-FAUUSP (2011) e em livro pela editora Annablume e Fapesp (2012). Doutor pela FAUUSP em 2017, com a tese «A fronteira infernal da renovação urbana em São Paulo: região da Luz no século XXI». Professor da Unifesp Zona Leste, Instituto das Cidades. Participa de grupos de pesquisa, com a finalidade de contribuir com a crítica à economia política do espaço (indústria da construção civil, cotidianidade e urbano).

CPA
[Comissão Permanente de Acessibilidade]

Órgão consultivo e deliberativo nos assuntos que incluem acessibilidade em edificações, logradouros, mobiliário urbano, transporte e comunicação. Contando com engenheiros e arquitetos entre seus membros, realiza vistorias e análise de projetos urbanos e de edificações, além de coordenar ações integradas nas diversas secretarias da administração municipal para a eliminação de barreiras arquitetônicas e de comunicação na cidade.

_saiba mais: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/pessoa_com_deficiencia/cpa/

Elisa Prado (titular)
Arquiteta e urbanista, pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, pós-graduada em Tecnologia de Edificações para Engenheiros e Arquitetos, pela POLI-USP e mestra pela FAU-USP com o tema “Acessibilidade nos bens culturais imóveis” (disponível em: http://bit.ly/1imrDRq). De 2007 a 2012 trabalhou com a Comissão Permanente de Acessibilidade da Prefeitura de São Paulo (SMPED/CPA) ministrando cursos sobre o tema, avaliando projetos de adequação à acessibilidade e realizando vistorias técnicas. Desde 2017 atua como representante do IAB na CPA. Ministra cursos e palestras sobre acessibilidade e realiza consultorias e projetos, com o objetivo de garantir a plena acessibilidade nos espaços edificados.
Kaísa Isabel da Silva Santos (suplente)
formada em arquitetura e urbanismo pela universidade braz cubas, trabalha com autonomias em diferentes esferas e atua na área de acessibilidade desde 2007. responsável por consultoria de acessibilidade para inclusão de diversas instituições, a profissional também foi colaboradora do escritório ahu! consultoria de acessibilidade durante cinco anos. atualmente a profissional desenvolve pesquisa com ênfase em autonomia de pessoas, inclusão e o desenho do arquiteto.

CPPU
[Comissão de Proteção à Paisagem Urbana – Prefeitura do Município de São Paulo]

Órgão consultivo e deliberativo que analisa assuntos relacionados às diretrizes de ordenamento da paisagem urbana do Município de São Paulo, bem como a aplicação da legislação referente à presença de elementos na paisagem urbana, como mobiliário urbano, intervenções artísticas e inserção de anúncios.

_saiba mais: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/urbanismo/participacao_social

Mariana Kimie da Silva Nito (titular)
Doutoranda na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Possui mestrado interdisciplinar em Preservação do Patrimônio Cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e especialização em Gestão de Restauro e Prática de Obras de Conservação do Patrimônio Cultural pelo Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada da Universidade Federal de Pernambuco (CECI/UFPE). Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Escola da Cidade. É membro do conselho gestor da REPEP, Rede Paulista de Educação Patrimonial. Tem experiência na área do patrimônio cultural, atuando principalmente com políticas urbanas, paisagem cultural, participação social e educação.
Natalie Sallum Barusso (suplente)
Graduada em Arquitetura e Urbanismo pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, IAU-USP (2011), com formação complementada pela Facoltà di Architettura Civile do Politecnico di Milano, Itália (2009-2010) e aperfeiçoamento em Projeto e Gestão de Infraestrutura Urbana pela Universidade Federal de São Carlos, UFSCar (2016). Trabalhou para a iniciativa privada em escritório com enfoque em arquitetura paisagística e para o poder público, como arquiteta e urbanista efetiva na Prefeitura Municipal de Tatuí, onde compôs diversos conselhos e comissões técnicas. Desde 2018, colabora como arquiteta e urbanista na Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo. É membro da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas.

CTLU
[Câmara Técnica de Legislação Urbanística – Prefeitura do Município de São Paulo]

Órgão consultivo e deliberativo que analisa casos não previstos, dirimir dúvidas e responder consultas na aplicação da legislação urbanística, sobretudo relativas ao Plano Diretor Estratégico, Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo e Operações Urbanas Consorciadas, além de apoiar tecnicamente o CMPU [Conselho Municipal de Política Urbana – Prefeitura do Município de São Paulo]

_saiba mais: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/urbanismo/participacao_social

Natasha Mincoff Menegon (titular)
É arquiteta urbanista, graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, é mestre pela mesma faculdade na área de concentração Habitat. Trabalhou na Secretaria de Planejamento Urbano (SEMPLA) da Prefeitura de São Paulo, no cargo de planejador urbano onde desenvolveu diversos estudos e projetos urbanos, além de estudos no âmbito das operações urbanas consorciadas. No Instituto Polis, atou por dez anos na elaboração de Planos Diretores, Planos de Habitação, dentre outros projetos urbanos e pesquisas na área de planejamento urbano e habitação. Atualmente é consultora na área de planejamento urbano. Membro da Diretoria do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento São Paulo (IABsp) na gestão 2020-2022.
Marcela Alonso Ferreira (suplente)
Arquiteta e Urbanista graduada na Universidade de São Paulo e mestre em Gestão e Políticas Públicas pela Fundação Getúlio Vargas, atua como pesquisadora junto aos Institutos Escolhas e Urbem. Foi consultora do Banco Mundial e Cities Alliance em temas relacionados ao desenvolvimento urbano e políticas públicas em governos locais, além de pesquisadora do Lincoln Institute of Land Policy e CIPPEC. Atuou como assessora técnica na Prefeitura de São Paulo na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e SP Parcerias. É membro da Diretoria do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento São Paulo (IABsp) nas gestões 2017-2019 e 2020-2022.

Operação Urbana Centro
[Comissão Executiva da Operação Urbana Centro – Prefeitura do Município de São Paulo]

Órgão consultivo e deliberativo que analisa assuntos relacionados à Operação Urbana Centro, à luz da efetivação dos objetivos da Operação Urbana. Realiza o acompanhamento dos projetos e ações previsto no Programa de Intervenções, bem como a aplicação dos recursos e implementação do Programa de Investimentos.

_saiba mais: https://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/estruturacao-territorial/operacoes-urbanas/operacao-urbana-centro/

simone gatti (titular)
arquiteta e urbanista pela universidade estadual de londrina com doutorado-direto pela fauusp. Realizou pós doutorado na mesma instituição, em parceria com a promotoria de habitação e urbanismo do ministério público do estado de são paulo e com o urban democracy lab da new york university, onde foi pesquisadora visitante. é consultora do programa de monitoramento de políticas urbanas sustentáveis na américa latina da onu habitat e pesquisadora do napplac da fau usp. Atuou como pesquisadora colaboradora do Observatório de Remoções (LabCidade-FAUUSP), foi consultora do programa soluções para cidades da ABCP e do Instituto Pólis e coordenadora de planos e projetos urbanos na TC Urbes e na Arquitetur, desenvolvendo trabalhos para prefeituras e sub-prefeituras brasileiras, para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e para o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). exerce pesquisa e consultoria sobre políticas públicas, habitação, gestão participativa e espaços públicos.
Guido D’Elia Otero (suplente)
mestre em planejamento urbano e regional pela fau usp (2020). possui graduação em arquitetura e urbanismo pela mesma faculdade (2013). foi diretor do iabsp na gestão 2017-2019. atualmente representa o iabsp na comissão executiva da operação urbana centro da pmsp e organiza o cineclube (cinecubo Iab) da mesma instituição. desde 2014 é sócio-diretor do escritório de arquitetura goaa – gusmão otero arquitetos associados.

Operação Urbana Consorciada Água Branca
[Grupo de Gestão da Operação Urbana Consorciada Água branca – Prefeitura do Município de São Paulo]

abrange parte dos bairros da Água Branca, Perdizes e Barra Funda. Com fácil acesso, essa região tem boa infraestrutura de transportes, privilegiada pelas proximidades das rodovias Castelo Branco, Anhanguera, Bandeirantes e do terminal metrô-rodo-ferroviário da Barra Funda. O objetivo estratégico da Operação Urbana Água Branca é promover o desenvolvimento da região de modo equilibrado, dando condições para que as potencialidades regionais sejam devidamente efetivadas.

_saiba mais: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/urbanismo/sp_urbanismo/operacoes_urbanas

Laisa Eleonora Marostica Stroher (titular)
Arquiteta e urbanista, mestre (FAU USP) e doutora (PGT UFABC) em planejamento urbano. Atua como pesquisadora no LePur – Laboratório de Estudos e Projetos Urbanos e Regionais da UFABC. Trabalha com docência, pesquisa e consultoria na área do planejamento urbano e habitacional. Atua como ativista da agenda urbana e de educação popular, mediante participação em entidades profissionais (FNA e SASP), movimentos sociais (Rede Emancipa) e em conselhos participativos de políticas urbanas (Grupo Gestor da Operação Urbana Água Branca e Conselho Municipal de Habitação).

Operação Urbana Consorciada Água Espraiada
[Grupo de Gestão da Operação Urbana Consorciada Água Espraiada – Prefeitura do Município de São Paulo]Órgão consultivo e deliberativo que analisar assuntos relacionados à Operação Urbana Consorciada Água Espraiada, à luz da efetivação dos objetivos da Operação Urbana. Realiza o acompanhamento dos projetos e ações previsto no Programa de Intervenções, bem como a aplicação dos recursos e implementação do Programa de Investimentos.

_saiba mais: https://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/estruturacao-territorial/operacoes-urbanas

Catharina Christina Teixeira (titular)
Docente da FAU USP pelo programa PART, pós doutoranda pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2019). Doutora pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo em 2019 e intercâmbio com a Universidad Politécnica de Madrid- Escola Técnica Superior de Arquitectura- (ETSAM). Mestre em Habitação pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (2006), Especialista em Desenho Urbano pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1996) e graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Católica de Santos (1988). Professora universitária desde 2012 em cursos de graduação de Arquitetura e Urbanismo (UNINOVE, FECAF). Foi conselheira do Conselho Municipal de Habitação (CMH-SP) durante o biênio 2009/2011, representando as Assessorias Técnicas. É atualmente conselheira pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil do Grupo Gestor da Operação Urbana Consorciada Agua Espraiada- 2017-2019. É membro do Laboratório de Arquitetura e Inovação Tecnológica (Arquitec) do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Participou da pesquisa do CNPQ/M. Cidades (2012) para avaliação do Programa Minha Casa Minha Vida e PAC Urbanização de Assentamentos Precários. Bolsista de doutorado pelo Lincoln Institute of Land Policy (EUA).
Estevão Sabatier Simões Ferreira (suplente)
Arquiteto e Urbanista formado pelo curso de Dupla-Formação FAU-Poli em Arquitetura, Urbanismo e Engenharia Civil na Universidade de São Paulo (USP). Foi estagiário da Prefeitura Municipal de São Paulo, na empresa de licenciamento ambiental Arcadis Logos, e no escritório de restauro Isntituto Pedra. Tem trabalhado com possíveis respostas ao problemas urbanos contemporâneos, procurando atuar de forma interdisciplinar, tendo trabalhado com os seguintes temas: Urbanismo e financeirização, Operações Urbanas Consorciadas, Restauração do patrimônio arquitetônico, Problemáticas urbanas contemporâneas, Estruturas urbanas, Análise de sistemas arquitetônicos e construtivos, Psicologia do espaço e suas narrativas, Metodologia do projeto arquitetônico, Projeto de equipamento público, Projeto escolar e habitação, História da arquitetura, História da engenharia

Operação Urbana Consorciada Faria Lima
[Grupo de Gestão da Operação Urbana Consorciada Faria Lima – Prefeitura do Município de São Paulo]

Órgão consultivo e deliberativo que analisar assuntos relacionados à Operação Urbana Consorciada Faria Lima, à luz da efetivação dos objetivos da Operação Urbana. Realiza o acompanhamento dos projetos e ações previsto no Programa de Intervenções, bem como a aplicação dos recursos e implementação do Programa de Investimentos.

_saiba mais: https://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/estruturacao-territorial/operacoes-urbanas

Camila Savioli Silveira (titular)
Arquiteta e Urbanista pela UNESP Campus Bauru (2012), Especialista em Planejamento e Gestão de Cidades pelo PECE/ Poli USP (USPCidades) e representante titular pelo IAB/SP no Grupo Gestor da Operação Urbana Faria Lima. Atualmente é consultora em planejamento urbano e regional na elaboração e revisão de legislações urbanísticas e diagnósticos territoriais. Possui especial interesse e foco nas temáticas que abarcam direito à cidade no planejamento urbano, participação social, transformação sócio-territorial e desenvolvimento local.
Isadora Fernandes Borges de Oliveira (suplente)
Arquiteta e Urbanista formada pela Universidade Estadual de Londrina (2014) e especialista pelo Programa de Residência em Gestão e Planejamento Urbano ofertado pela FAU-USP em parceria com a Prefeitura de São Paulo, onde atuou na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU) na elaboração dos Planos Regionais das Subprefeituras. Atualmente é mestranda na área de Planejamento Urbano e Regional do Programa de Pós Graduação da FAUUSP e bolsista FAPESP (2018-Atual), e cursa sua segunda graduação na carreira de Ciências Sociais na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP).